VOLUNTÁRIOS
Juntos podemos fazer da solidariedade um compromisso

 

 

A ENTRAJUDA assumiu o compromisso de ajudar as instituições de solidariedade social a melhorarem os serviços que prestam à população carenciada que apoiam. A sua actividade é essencialmente assegurada por voluntários.

Este compromisso passa pelo desenvolvimento de um corpo de voluntários que reúna características singulares e competências em áreas distintas e que trabalham na ENTRAJUDA ou nas Instituições por esta apoiadas como Voluntários parceiros ou ainda através do desenvolvimento do programa "Voluntariado Empresa".

Cada voluntário assume um compromisso com a ENTRAJUDA, instituição para a qual escolheu trabalhar, e com as instituições e pessoas carenciadas que beneficiam do apoio da ENTRAJUDA. O perfil de voluntariado deve assim nortear-se por princípios básicos:

 

a)     Disponibilidade

b)     Vontade de se comprometer na área social

c)     Acreditar que a sua colaboração faz a diferença.

 

>> Inscreva-se como voluntário aqui >>

Voluntário Tutor 

Responsável por uma instituição de solidariedade social, avalia as suas necessidades, elabora um plano de intervenção e acompanha-a ao longo de todo o processo

Funções:

·     É responsável por uma instituição, avaliando as suas necessidades e elaborando um diagnóstico nas seguintes áreas: Estratégia, Organização, Relações Institucionais, Tecnologias de Informação, Financeira, Recursos Humanos, Jurídica e Controle de Gestão

·     Propõe um plano de intervenção a desenvolver e implementar

·     Lidera equipa multidisciplinar

·     Avalia o impacto do apoio da ENTRAJUDA na instituição

·     Assegura a qualidade da intervenção e a satisfação da instituição

·     Mantém a ENTRAJUDA informada sobre todas as situações relacionadas com a instituição e com os Parceiros

Requisitos:

·     Disponibilidade (de tempo) para fazer o acompanhamento da instituição e para receber formação e orientação da ENTRAJUDA

·     Capacidade de autonomia

·     Facilidade de comunicação e gosto pelo contacto com pessoas

·     Sensibilidade para actuar no universo das instituições de solidariedade social

·     Capacidade para identificar constrangimentos e potencialidades das instituições

·     Capacidade de planeamento

·     Capacidade de integração em equipas de voluntários

·     Experiência em gestão e/ou consultoria e conhecimentos em áreas como Direito, Informática, Recursos Humanos, Serviço Social, Seguros ou outras áreas que se revelem importantes para o desempenho da missão das instituições

 

Voluntário Parceiro

Apoia as instituições de acordo com a sua especificidade profissional.

Funções:

·     Actua numa área específica

·     Esclarece as questões necessárias para a sua intervenção

·     Analisa a melhor forma de dar resposta às necessidades detectadas na Instituição

·     Apoia o processo de implementação de soluções preconizadas

·     Elabora relatório sobre a intervenção na instituição

·     Informa da conclusão da sua intervenção

·     Articula com o Voluntário-Tutor e reporta ao Coordenador

Requisitos:

·     Especialista numa área específica de competências

·     Capacidade de autonomia e de análise

·     Facilidade de comunicação e gosto pelo contacto com pessoas

·     Flexibilidade e agilidade na definição de soluções e respectiva implementação

·     Capacidade de adaptação e versatilidade na actuação

·     As áreas de competência são as mais abrangentes, dada a situação em que se encontram muitas instituições: contabilidade, informática, recursos humanos, direito, segurança alimentar, etc.

 

Coordenador de Equipas de Voluntários Tutores e Voluntários Parceiros

Coordena equipas de Voluntários-Tutores e Voluntários-Parceiros

Funções:

·     Responsável por coordenar o trabalho de um conjunto de Voluntários-Tutores e Voluntários-Parceiros

·     Acompanha a resposta dos Parceiros à solução preconizada

·     Acompanha o impacto do apoio da ENTRAJUDA nas instituições apoiadas

·     Assegura a qualidade da intervenção e a satisfação das instituições

·     Mantém a ENTRAJUDA informada sobre todas as situações relacionadas com as instituições e os parceiros envolvidos

Requisitos:

·     Disponibilidade (de tempo) para fazer o acompanhamento da instituição e para receber formação e orientação da ENTRAJUDA

·     Capacidade de liderança de equipas e projectos

·     Capacidade de autonomia

·     Facilidade de comunicação e gosto pelo contacto com pessoas

·     Capacidade de planeamento e de controlo

·     Experiência na área da gestão e liderança de equipas multi-disciplinares

 

Voluntário de Back-Office e Projectos Especiais

Presta apoio à ENTRAJUDA na área administrativa ou no âmbito dos projectos e produtos formatados a desenvolver pela ENTRAJUDA com vista à implementação nas instituições

Funções:

·     Assessoria técnica (Especializada)

·     Funções administrativas

·     Levantamento, análise e tratamento de informação

·     Concepção e desenvolvimento de produtos dentro da sua área de especialidade

Requisitos:

·     Conhecimentos adaptados às diversas áreas de especialidade

·     Capacidade de organização

·     Conhecimentos informáticos na óptica do utilizador

·     Dinamismo

·     Facilidade de comunicação

·     Experiência em áreas como contabilidade e finanças, imagem e comunicação, recursos humanos, formação, administrativa, secretariado, etc.

 

“Voluntário é o indivíduo que de forma livre, desinteressada e responsável se compromete, de acordo com as suas aptidões próprias e no seu tempo livre, a realizar acções de voluntariado no âmbito de uma organização promotora.”

 

Compete à ENTRAJUDA prestar toda a informação sobre os seus objectivos e funcionamento, bem como formação sobre as tarefas a executar.

Compete aos Voluntários o respeito dos princípios deontológicos pelos quais se rege a actividade que realizam e honrar o compromisso que assumiram, agindo de acordo com os princípios fundamentais da ENTRAJUDA, empenhando-se em oferecer os melhores serviços possíveis, actuando de forma diligente, isenta e solidária.

Os direitos e deveres dos voluntários constam de legislação própria.

 

Legislação

  • LEGISLAÇÃO NACIONAL

Lei n.º 71/98, de 3 de Novembro - Bases do enquadramento jurídico do voluntariado.

Decreto-Lei n.º 389/99, de 30 de Setembro - Regulamenta a Lei n.º 71/98, de 3 de Novembro, que estabeleceu as bases do enquadramento jurídico do voluntariado.

 Resolução da Assembleia da República n.º 7/99, de 19 de Fevereiro - Aprova, para ratificação, o Tratado de Amesterdão, que altera o Tratado da União Europeia, os Tratados que instituem as Comunidades Europeias e alguns actos relativos a esses Tratados, incluindo o Anexo e os Protocolos, bem como a Acta Final com as Declarações, entre as quais a 38, relativa às actividades de voluntariado.

Resolução do Conselho de Ministros n.º 50 (2.ª série), de 30 de Março de 2000 (publicada no D.R., II série, n.º 94, de 20 de Abril) - Define a composição e o funcionamento do Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado.

 Decreto-Lei n.º 40/89, de 1 de Fevereiro - Institui o seguro social voluntário, regime contributivo de carácter facultativo no âmbito da Segurança Social, em que podem ser enquadrados os voluntários. O seguro social voluntário foi objecto de adaptação ao voluntariado pelo Decreto-Lei n.º 389/99, de 30 de Setembro.

  • NORMAS INTERNACIONAIS 

 Resolução 40/212 da Assembleia Geral das Nações Unidas, de 17 de Dezembro de 1985 - Convida todos os governos a celebrar anualmente, a 5 de Dezembro, o Dia Internacional dos Voluntários.

 Declaração Universal do Voluntariado de Janeiro de 2001 Adoptada pelo Conselho Internacional de Administradores da IAVE, Associação Internacional para o Esforço Voluntário, na sua 16ª. Conferência Mundial de Voluntariado, em Amesterdão

Um desafio para empresas que pretendam exercer a sua responsabilidade na área da solidariedade constituindo uma equipa de colaboradores de várias áreas de especialidade, motivados pelas causas sociais, conseguindo assim conjugar de forma eficaz o seu conhecimento e experiência com as necessidades de uma instituição seleccionada pela ENTRAJUDA.

 

Para além de dar resposta às necessidades específicas das instituições, este Programa permite fomentar o espírito de equipa através do envolvimento transversal dos colaboradores de uma empresa e estimular o trabalho em grupo de elementos de diversas áreas .

Cabe à empresa, em coordenação com a ENTRAJUDA:

  • Identificar as necessidades de uma instituição indicada pela ENTRAJUDA
  • Identificar soluções a serem desenvolvidas na empresa ou na instituição apoiada
  • Avaliar os recursos humanos e materiais que poderá disponibilizar para o projecto

 

Caracterização:

Grupo de trabalho composto pelos seguintes elementos:

  • Tutor - Colaborador destacado pela empresa, que assume a liderança de todo o processo, estabelecendo a ponte entre a instituição seleccionada e a ENTRAJUDA
  • Parceiros - Colaboradores de diferentes áreas da empresa que, no âmbito das respectivas especialidades, assumem a intervenção na instituiçãoem apoio. Reportam ao Tutor

Requisitos Gerais:

  • Disponibilidade
  • Vontade de se comprometer na área social
  • Vontade de dar o seu tempo e saber por uma causa de forma comprometida
  • Motivação e confiança
  • Espírito de equipa
  • ·    Acreditar que a sua colaboração faz a diferença

 

Outra forma das empresas participarem neste Programa é através da disponibilização de horas de trabalho de colaboradores interessados em participar em projectos indicados pela ENTRAJUDA, enquanto “Voluntários-Parceiros”, ou seja, apoiando as instituições de acordo com a sua especificidade profissional.

Desenvolvido por PrimeIT